A Assembleia Legislativa de Sergipe concede o Título de Cidadão Sergipano a Dom Vitor



Na Sessão Extraordinária Mista da manhã desta terça-feira (01), os deputados estaduais aprovaram o Projeto de Resolução 10/2020, de autoria do deputado Talysson de Valmir, que concede o título de Cidadania Sergipana a Dom Vitor de Agnaldo Menezes, bispo diocesano de Propriá.


Os títulos são concedidos a pessoas físicas ou jurídicas que reconhecidamente tenham prestado relevantes serviços à comunidade ou tenham se destacado pelo desempenho na vida pública ou privada.


Segundo o deputado Talysson de Valmir: "Uma honra para mim estar parlamentar e poder, dentre outras ações, promover o reconhecimento de pessoas que em virtude dos relevantes serviços prestados, contribuem para o bem de nosso querido povo sergipano. Assim propus, e os nossos nobres colegas parlamentares aprovaram, a indicação do Título de Cidadania Sergipana a Dom Vitor Agnaldo de Menezes, Bispo da Diocese de Propriá. Homem íntegro, que propaga a palavra de Deus e vive para ajudar ao próximo. Diante da bela História que Dom Vitor construiu em Sergipe, essa homenagem se faz mais que justa".


Dom Vitor Agnaldo de Menezes, nasceu em 15 de junho de 1968, na cidade baiana de Curaçá. É formado em Filosofia pelo Institutum Sapientiae, em Anápolis, e em Teologia pela Universidade Católica de Salvador, na Bahia. Também tem especialização em Espiritualidade Sacerdotal e Missionária. Sua ordenação sacerdotal ocorreu em 18 de abril de 1998, na Diocese de Jequié, na Bahia. Entre as funções que exerceu estão a de pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Jequié, reitor do Seminário Maior Diocesano, diretor Nacional da Pontifícia Obra da Propagação da Fé, de 2006 a 2010, pároco da Paróquia Catedral de Santo Antônio, em Jequié, de 2011 a 2016 e, por último, pároco da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Maracás, função que exerceu até agosto de 2016.


No dia 25 de outubro de 2017. O Papa Francisco o nomeou Bispo da Diocese de Propriá de Sergipe, em substituição a Dom Mario Rino Sivieri, que ocupava o cargo há quase 21 anos.



Fonte: Alese.