PADRES DO VICARIATO SANTÍSSIMA EUCARISTA SE REUNEM COM O BISPO DIOCESANO NA CIDADE DE AQUIDABÃ/SE.




No último dia 13, dia dedicado a Santa Teresa dos Andes, os padres do Vicariato Santíssima Eucaristia se reuniram com o Bispo Diocesano, Dom Vitor, na cidade de Aquidabã-SE. A Reunião começou por volta das 9h e encerrou-se por volta das 14h. A reunião se estendeu, devido à partilha dos padres acerca de aspectos relevantes no quadro atual em que párocos e paróquias enfrentam nestes tempos de mudanças e crises frente à pandemia.


Levando em consideração a Pandemia da Covid-19, alguns padres analisaram as dificuldades no retorno das atividades pastorais e litúrgicas, enquanto outros ressaltaram o desejo de muitos fiéis para que este retorno acontecesse, os quais permaneceram e continuaram, como foi possível, ligados à Paróquia.


A pandemia também proporcionou novas experiências, como a criação das mídias sociais, aumentando a propagação devocional e cultural, bem como elevou a dimensão da solidariedade, como uma exigência própria desse momento. Os padres sentiram de perto o apoio do Povo de Deus que também se fizeram solidários com os mesmos, tanto na atenção, quanto no cuidado dos próprios suprimentos básicos.


Um tema abordado na reunião foram os problemas com a saúde entre os padres, sejam estes provocadas pela pandemia, por outros fatores decorrentes dela ou não, e daí o questionamento de se rever a possibilidade de um plano de saúde para os mesmos.


A partilha deixou entrever a ajuda mútua entre alguns irmãos no sacerdócio e fiéis na superação das dificuldades pessoais e paroquiais, sem deixar de notar os desajustes econômicos, o aumento da violência, de festas com poluição sonora, quadros de depressão e os desafios de como chegar às famílias – particularmente, aos jovens –, frente ao indiferentismo religioso que a própria sociedade enfrenta.




O contato pessoal foi em parte cessado, como as visitas familiares, mas tem se tornado cada vez mais crescente e urgente o acompanhamento personalizado, para cuidar das feridas que causam sofrimento no profundo de cada pessoa humana, provocados por incontáveis fatores, a exemplo do desemprego e a perda da dignidade que o trabalho proporciona. O número de doadores tem diminuído e surge outra realidade para os que padecem com doenças: como conseguir medicações tão caras? Foi o questionamento e uma das pautas para reflexão geral.


Foram constatados alguns grupos que se encontram completamente desanimados, e outros que demandam um pouco mais de atenção, como os grupos compostos em sua maioria por idosos. As cidades de maior porte vêm se defrontando com a necessidade de evangelização em condomínios, ao tempo que precisam também orientar e compreender a dimensão da Paróquia afetiva.


Foi recordado também nesta reunião a leiga Geralda, da Paróquia Senhor das Misericórdias, no Pov. Visgueiro, enviada em missão para Parintins, onde completou sua carreira, guardando a fé e testemunhando a misericórdia do Senhor. Os padres refletiam com o Bispo a dimensão missionária como um chamado de Deus que se revela à medida que nos abrimos à Sua graça, mesmo quando saímos em missão sem compreender a dimensão do que Deus quer realizar em nós e por meio de nós.


Partindo para outro tema, foi comentado a respeito das mudanças de padres nas Paróquias que apresenta como um desafio de uma nova experiência com todas as exigências próprias do recomeçar. Alguns padres notam o crescimento em casos de depressão e suicídio em suas realidades locais e o Bispo frisou que “não é mais o momento de fechar as igrejas, mas de buscar retomar as atividades de acordo com o que o tempo proporciona e diante dos novos desafios”, dentre estes o de levar esperança ao Povo de Deus.



No que concerne à dimensão prático-pastoral, tratou-se da possibilidade de ser revisto o mapa da Diocese e reorganizar as dimensões das fronteiras paroquiais. A antiga problemática de padrinhos de batismo e a atenção ao Código de Direito Canônico, bem como a inclusão e acolhida pastoral dos mesmos, entrou na reflexão.


Surgiu o tema dos nossos Santuários e suas respectivas movimentações: rever ou criar novos Santuários?, foi questionado. Dom Vitor ainda relembrou a conclusão e encaminhamentos de obras que estão sendo realizadas em espaços da Diocese para utilização e bens comuns, dentre eles a Casa da Caridade, na antiga Residência Episcopal, e o encabeçamento da Cáritas Paroquial em unidade com a Cáritas Diocesana e Nacional.


No segundo momento, foi apresentado pelo Pe. Gustavo Martins o questionário do “Tempo de Escuta”, e solicitado a participação na Assembleia Eclesial Latino Americana e Caribenha por parte deste referido Vicariato. A reunião de reflexão com o propósito de responder ao questionário ficou agendada para o dia 31 de julho na Casa de Nazaré, em Malhada dos Bois, a partir das 9h.


Dom Vitor ainda apresentou o processo do Sínodo dos Bispos 2023, estando agendado para nossa Diocese a abertura deste Sínodo, no dia 17 de outubro na cidade de Nossa Senhora da Glória, na Igreja Santa Gianna Bereta Molla, também às 9h. E reforçou também a Campanha de Colaboração das Comunidades e Movimentos para a formação presbiteral que todas as Paróquias devem movimentar, bem como relembrou a apresentação ao Bispo dos Conselhos Paroquiais devidamente estruturados.


O coordenador de Pastoral, o Pe. Alailson Souza, expressou a necessidade de ratificar o Plano de Pastoral Diocesano, mantendo-se as prioridades pré-definidas em Assembleia Ampliada e com possíveis adaptações metodológicas para o tempo atual.



Por fim, o Cura da Catedral, o Pe. Clebson Ferreira, apresentou o projeto de Reforma da Catedral, demonstrando a urgência desta execução e a necessidade de toda Diocese se mobilizar e se envolver no cuidado deste patrimônio que é de todos.


A reunião finalizou em clima fraterno com um almoço oferecido pelo Pároco na Casa Paroquial da Paróquia Senhora Sant’Ana de Aquidabã.