Solenidade da Ascenção do Senhor


Primeira Leitura (At 1,1-11);

Salmo Responsorial (Sl 46);

Segunda Leitura (Ef 1,17-23);

Evangelho (Mt 28,16-20).

Sublime é o Senhor, o Deus altíssimo, o soberano que domina sobre a terra (Sl 46, 3).

Aquele que celebramos hoje sua Ascenção nos veio com esta finalidade: tornando-se um conosco, nos tornarmos um com Ele; conhecendo os nossos passos reconduzi-los em direção ao céu; sabendo por onde andamos, nos ensinar por onde devemos andar; pisando a dureza desta terra, elevar-nos à sublime leveza das alturas. Ele veio a nós, para que voltássemos a Ele. Ele veio do céu e voltou para o céu, assim como nós viemos d'Ele e devemos voltar para Ele.

Esse é o caminho completo. Essa será sempre a linha de chegada: voltarmos ao lugar de onde partimos. E enquanto estivermos neste mundo será sempre necessário fazermos o exercício de voltarmos ao começo de tudo, recomeçar, renovar ou refazer a nossa história de vida.

Desse modo pedimos sabedoria e luz para o nosso coração, a fim de compreendermos esta vocação tão plena, à Esperança à qual fomos chamados (Cf. Ef 17s). Esperança de plenitude, de completude, de inteireza que só nos é possível quando mergulhados em Deus, quando inteiros n'Ele. É a isso que nos referimos quando tratamos de Comunhão, sermos um só com Ele, de tal modo que o mistério da Sua vida seja mistério na nossa vida.

Somente desse modo podemos vencer a paralisia (ou asfixia?) do tempo. O poeta, outrora dissera que "o tempo não para", mas muitos de nós, ou muitas vezes nós, paramos no tempo. Por vezes paramos no passado e lamentamos o que não pode mais ser mudado, senão revisto com um novo olhar. Por vezes nos prendemos a um futuro meramente imaginário e ilusório. Quando não, paralisados no vazio de um presente mal aproveitado porquê imediatista e sem o mínimo de medida. Porém, o Senhor nos chacoalha nessa liturgia dizendo: o que estais fazendo aí parados? (Cf. At 1, 11). Acorde para vida! Aproveite a caminhada e esforça-te em tuas atividades, em teus empreendimentos como quem já alcançou os planos de Deus. Esperar é verbo ativo, é também acreditar, é sobretudo confiar, mas é também partir.

O Senhor que subiu (partiu para o Pai) é o mesmo que permanece conosco (Cf. Mt 28, 20). O que caminha conosco é o mesmo que nos chama a imitar Seus passos, na alegria e nos sofrimentos. Portanto, sejamos pacientes na espera e esperançosos na partida.

Assim louvaremos ao Senhor da vida pela sua beleza e pela sua grandeza que nos circunda (Hoje o papa declarou a abertura do Ano Laudato Si') por uma atenção maior à integração plena da vida.

Igualmente, saberemos contar, narrar a história da "vida que se faz história" (neste dia mundial das comunicações sociais) sob a ótica da verdade e do bem. Como Deus que se recorda da Aliança (Cf. Ex 2, 24), haveremos de nos recordar da Sua bondade que nos fez um só povo em seu amor derrubando toda e qualquer separação (Cf. Ef 2, 14) para bem iniciarmos a semana de oração pela unidade dos cristãos lembrando que "gentileza gera gentileza."


Por Pe. Gustavo Santos de Souza Martins

Diocese de Propriá

Igreja Católica Apostólica Romana

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

CNBB NE 3 / Sub-regional 2

Contato:

Telefone: (79) 3322-1757

E-mail: diocesepropria@bol.com.br

Cúria Diocesana:

Travessa Municipal, 117

49900-000 / Propriá-SE

Func.: Seg a Sex: 08h às 12h / 14h às 18h

Todos direitos reservados a Diocese de Propriá 

logo 2.png